quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Segura na mão de deus e vai

Eu sempre fui uma pessoa prática. "Que setembro me traga..." Não. Setembro não é transportadora. É só um mês. "Que amanhã seja..." Amanhã vai ser a mesma bosta de dia porque, convenhamos, se eu não mudar, nada muda. Mas com 2016 foi diferente, Eu precisei acreditar que o ano que viria poderia me trazer coisas novas e boas, já que o ano que passou trouxe coisas que eu não pedi, contra as quais eu pouco pude fazer algo.

Então me dei o prazo. Deixei tudo de ruim que poderia acontecer, porque em 2017 as coisas seriam diferentes. Eu não sei como, eu só sentia. 2016 foi amargo, mas em 2017 eu podia sentir o amargor indo embora e a boca com gosto de hortelã que fica depois de escovar os dentes. Aí eu me armei de todas as possibilidades. Fiz planos, olhei diversos horóscopos e previsões. Todos diziam que o ano não seria fácil, mas havia algo de positivo ali no meio.

Chegado réveillon, eu estava vestida com roupas brancas e novas e o coração aberto para toda a felicidade e energia que rondavam aquela passagem pudessem entrar. Entraram muitas taças de espumante também.

Então eu fechei os olhos e pensei em todos aqueles que eu poderia pedir ajuda.

- Jesus, segura nossa onda.
- Oxum, toma conta do meu coração.
- Entidade de luz responsável por trazer dinheiro e prosperidade, estou carregando moedas no meus bolsos e deixei dinheiro carteira, como disseram que funciona.
- Seu Mangueira, tamo junto.
- Aos deuses responsáveis pelo gerenciamento do carma, eu peço encarecidamente uma folga do meu para que eu possa lidar com outras coisas, pelo menos por um tempo.
- Feliz ano novo, pai.
- Seja doce, 2017.

Quando os fogos da meia noite começaram a explodir, era como se algo em mim estivesse explodindo também e eu comecei a chorar. Era um choro de alívio. Algo de pesado estava saindo das minhas costas, eu juro que eu senti. Foi só comigo?

Pode ser que 2 0 1 7 sejam só um número. Que ele não vai me trazer nada, que não vai ouvir os meus pedidos. Mas que eu sinto algo que eu não senti ano passado, isso eu tenho certeza. Eu vesti branco porque queria paz de espírito. Parece que alguém me ouviu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário