terça-feira, 5 de janeiro de 2016

# baseado em sentimentos reais

Perseguição

Eu vi você no carro ao lado. Meu coração deu um salto. Mesmo não sendo o seu carro, mesmo não sendo você.

Eu vi você na fila do Mc Donalds e talvez só não tenha saído correndo porque uma amiga veio em minha direção perguntar se eu estava bem. Eu vi você, mesmo sabendo que você estava uns bons quilômetros longe.

Eu senti você no metrô. Era o seu perfume, você sentou do meu lado. Eu não tive coragem de abrir os olhos e confirmar porque não sabia se aquilo ia me deixar feliz ou mais triste ainda.

Eu fui ao seu casamento e chorei, me sentindo traída, vendo suas fotos com a noiva e agora esposa. Era uma felicidade difícil de suportar. Chorei mais que todos os convidados do casamento e eu nem convidada era. Mas era você. Ah, aquelas sobrancelhas só podiam ser suas.

Você passou por mim na rua e eu só tive tempo de te olhar de costas, com aquela camiseta que você comprou no camelô e perguntou se eu não queria uma igual.

Você dormiu aqui em casa noite passada. Não estava aqui quando eu deitei e também não estava mais aqui quando eu acordei.

Eu vi você em fotos aleatórias de praia daquele lugar que fomos. Ouvi você nas minhas músicas preferidas. Às vezes eu queria que você me devolvesse elas. Queria que elas voltassem a ser só minhas como antes de eu te apresentar. Mas, na maior parte do tempo, eu gosto da única ligação que sobrou entre nós e que não está nas lembranças.

Eu vi você em cada canto da minha casa. Por que não para com essa perseguição?

Eu vi você em muitos lugares. Mas seu sorriso e seus olhos, eu nunca mais encontrei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário