segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Coisas que eu sei

Passei um tempo sem conseguir escrever porque sentia que não tinha nada de novo que pudesse dizer. Pensei que pudesse me reinventar, mudar o estilo, o gênero, a forma, o drama, os temas. Depois da autoanálise eu descobri no que sou boa e no que não sou.

Percebi que sou boa em escrever aleatoriedades sobre a vida, sobre a minha vida, sobre a vida de pessoas próximas, sobre pessoas que eu observo no metrô. Eu nem sei se preciso fazer muito esforço pra isso, a mente flui naturalmente imaginando situações e diálogos.

Eu sei fazer piada com a minha própria vida. Se você acha que conhece meus defeitos, senta aqui, eu posso te contar mais um monte deles. Confesso que isso é muito fácil e, normalmente, eu não preciso nem florear os acontecimentos porque às vezes a realidade supera a ficção e muitas coisas eu não teria nem capacidade de inventar.

É claro que eu sei escrever sobre ciladas, o que é quase escrever uma biografia e um pouco de aleatoriedades da vida. E também são casos em que a realidade supera a ficção, eu não preciso me esforçar.

Eu sei escrever sobre relacionamentos por motivos ocultos, porque sou péssima com eles. Mas eu sei dar bons conselhos. Acho que é o tal do "faça o que eu digo, não faça o que eu faço".

Eu sei escrever contos eróticos, mas infelizmente vocês não terão acesso a eles. Talvez, um dia, publique com um pseudônimo. Você pode ter acesso aos contos eróticos se for usado como inspiração ou se fizer parte do meu grupo secreto de pessoas que leem meus textos antes que eu publique. Um grupo mais secreto que o clube da luta, pois os membros nem sabem que fazem parte desse grupo.

Eu sei escrever sobre a minha casa. Eu sei enxergar a minha vida através da minha casa. Eu consigo contar uma história sobre a minha vida apenas falando da minha casa. #MinhaCasaMinhaVida

Eu sei escrever sobre maternidade. Eu não sei transformar maternidade em glamour ou em algo que é 100% paz e amor, porque não é. Se estão querendo ilusão eu posso indicar vários blogs sobre o assunto.

Eu poderia dizer que escrevo sobre o que me dói, mas ainda estou trabalhando nessa frase.

Eu não sei escrever ficção científica e também não sei escrever histórias de amor com final feliz, que são quase a mesma coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário