domingo, 12 de outubro de 2014

# blogagem coletiva # retrospectiva

Senta que lá vem história

Quase três anos de Cilada e eu nunca contei publicamente como este espaço surgiu, né? Pois então, chega mais.

Pé na bunda é uma coisa que, apesar de tudo, tem que empurrar a gente pra frente. Afinal, uma cilada que não gera nem aprendizado é desperdício de vida.

Eu entrei numa cilada que me deixou muito da desorientada. Sabe aquela paulada que você recebe pelas costas? Pois é. Só que eu já tinha alugado tanto o ouvido dos meus amigos com o assunto que tivemos que fazer um acordo de não falar mais sobre isso. Mas eu ainda queria falar. Juntei isso ao fato de que eu estava me sentindo enferrujada e emburrecendo porque não produzia, não escrevia. Escrever não é como andar de bicicleta, gente. É sofrido, tem que praticar, sofrer, investir.

- Preciso de um blog.

O nome do blog, pra mim, é um cartão de visitas. Se encontro um chamado "Mundo Encantado de Uma Princesinha em Apuros" eu já passo longe. Já um que chama "No fundo eu sou otimista (mas eu sempre imagino o pior)" ganha a minha simpatia automaticamente. Não ia pagar de jornalistona séria porque não sou assim e não ia colar. Alguns dias de brainstorm e ideias que me acordavam no meio da madrugada e surgiu "Não era amor, era cilada". CARA! Nome perfeito para o que eu tava passando. E o que significa? Significa que essa é minha vida, esse é meu clube. Além, é claro, de uma homenagem à banda que é melhor que Beatles.

Foi esse o post em que eu desabafei sobre a minha (ridícula) vida amorosa naquele momento. Sim, só isso. Me dei por satisfeita. E aí percebi que eu poderia usar esse espaço pra falar sobre coisas melhores, né? Foi assim que eu me diverti escrevendo o post em que eu conto sobre o medo de pato, sobre a minha "primeira vez", falei de infância, de maternidade. Falei de coisa séria, como o Estatuto do Nascituro e toda aquela treta com a Crescer. Desabafei, amadureci. E continuo aqui vivendo. Recebi muitos desejos de "mais amor e menos cilada na sua vida" no meu aniversário e olha, eu também espero muito isso. Vamos aguardar.

Então, se você curte o que eu escrevo por aqui, independente do motivo ou da temática, você deve agradecer ao cara que dizia que queria ficar comigo, ser um homem digno pra mim mas estava saindo com mais duas garotas. Tudo bem que eu não falo mais com ele, que ele pode ter mudado ou que nem se lembra mais de mim. Mas o pontapé pra iniciar tudo isso veio dali. Valeu, cara!

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots um grupo das interwebs empenhado em manter a blogosfera marota, blogosfera de raiz. Vem brincar com a gente, ó!

Nenhum comentário:

Postar um comentário