quarta-feira, 7 de maio de 2014

# família # filhos

Manual do bom senso de visita ao recém-nascido

Criança quando nasce é uma felicidade indescritível. Passamos 9 meses acompanhando os enjoos da mãe, a barriga crescendo, a descoberta do sexo, a barriga crescendo, planejando chá de fralda, decoração do quarto, a barriga crescendo, os pés inchando, acompanhando a barriga se mexendo, fazendo planos. Fazemos tudo isso sem tocar diretamente no bebê, sem saber como é o rostinho dele, com quem se parece. Mais um membro na família que, de tão aguardado, os nove meses podem parecer muito mais tempo.

E aí o pacotinho nasce. É whatsapp pra avisar, post no Facebook, ligação para todos os parentes, SMS, telegrama, carta de amor. Todos querendo visitar o mais novo habitante da Terra. Porém, segurem os ânimos. As coisas não são tão simples quanto parecem. Muitas pessoas acabam errando feio quando querem agradar na hora de visitar o bebê. Dá só uma lida nessas dicas pra manter a harmonia e o bom senso:

Visita na maternidade

Se você não é o pai do bebê, ou não tem uma ligação MUITO íntima com a família, não há necessidade de uma visita no hospital. Vamos lembrar que estamos lidando com um recém-nascido e uma mãe que acabou de passar por algumas horas de parto ou está recém-operada. Ela quer descanso. Além disso, se a mãe passou por uma cesariana, pode ser que tenha que ficar deitada 100% na horizontal, por causa da anestesia. Isso dificulta um pouco o contato social. Tem também a indicação de evitar ao máximo que a mãe fale, porque dá... gases. A barriga incha que é uma beleza. E se incha, é preciso que esses gases saiam. Se você encontrar com alguma mãe andando sem destino pelos corredores, você já sabe o que ela está fazendo.

Fale baixo, não toque em nada. Evite fotos sem a autorização da mãe. Seja breve.

Visita em casa

Mãe e bebê em casa, hora de festejar, certo? Errado. Reina aqui a ideia de que "todo cuidado é pouco" e do "Faça silêncio, caramba!". Temos uma mãe que está, provavelmente, exausta, querendo o conforto do seu lar e um bebê recém chegado ao mundo que nem vacinas tomou ainda. Como agir?

- Não apareça de surpresa. Você não sabe a rotina da casa ainda, pode chegar numa hora que a mãe acabou de dormir, pode acordar, com a campainha, o bebê que chorou por 5 horas seguidas, pode dar de cara com um pai exausto só de samba-canção que virou a noite acordado.

- Ajude. Segurando uma fralda, dando apoio pra mãe levantar, trazendo água, fazendo almoço, lavando a louça, qualquer coisa.

- Lembra do "todo cuidado é pouco"? Então. Não fume antes de entrar numa residência com recém-nascido. Não passe perfume, cremes, tire pulseiras, relógios. Não beije o rosto do neném, muito menos deixe a barba encostar na pele dele. Não adianta nem tentar fazer isso escondido, pois a pele do bebê será um grande dedo-duro depois que ele ficar todo empelotado. Não leve flores. Ou, se levar, deixe bem longe do quarto. Limpeza nunca é demais. Lave as mãos e abuse do álcool gel. Tire os sapatos antes de entrar no quarto do bebê.

- Não acorde o bebê só porque ele dormiu na sua hora de visita. Ele pode até ter "a vida toda pra dormir", mas ele não é um brinquedo pra você acordar a hora que quiser. Sem contar que é provável que o trabalho de fazê-lo dormir novamente não seja seu. Peça para a mãe antes de colocar o bebê no colo.

- Privacidade. Quando a mãe estiver amamentando, deixe ela e o bebê a sós. É um período em que um está conhecendo os hábitos dos outro e pode ser que a hora ainda seja um pouco agitada. Ela pode também não ficar confortável com você encarando os peitos dela. Aproveite para pegar um copo de água para a mãe. Ela vai sentir sede (e muita).

- Não tire fotos sem autorização. Haja silenciosamente. Evite presentear com doces, você não sabe como está a dieta da mãe. Não coloque o bebê nas mãos de uma criança, pelo amor de Deus. Evite aqueles conselhos sem pé nem cabeça que só deixam a mãe mais insegura. Seja breve (a não ser que você queira dar uma faxina de presente, aí você pode ficar um pouco mais).

Na dúvida? Pergunte. A família vai estar feliz em receber visitas que não causem mais problemas que alegrias. Você que é mãe, não tenha medo de impor as suas regras. Se você é o pai, seja parceiro, atuante. Ajude. É a sua casa, o seu bebê. ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário