segunda-feira, 22 de julho de 2013

Essa coisa linda que é viver em sociedade

Conviver com pessoas é uma arte. E se irritar com elas, vez ou outra, faz parte. A sua vizinhança é um conjunto dos melhores momentos do que acontece nesse mundão afora num lugar só, pra você não ficar de fora. E sempre tem um replay pra quem perdeu o último barraco, a última vergonha alheia, a última falta de noção. A zuera dos vizinhos, ela não tem limites.

Quem nunca sentiu aquela vontadezinha de xingar até a 3ª geração das pessoas que chamam os dois elevadores ao mesmo tempo e te obrigam a fazer um tour pelos andares em que as pessoas já não estão mais porque entraram no outro elevador? E aquela que entra com cachorro maior que o próprio dono no elevador social e sem focinheira? "Ele é mansinho, não morde!"



Conviver em sociedade é isso. É aceitar o próximo como ele é e respirar fundo em cada idiotice que ele faz. Vizinho sem noção: quem nunca teve, quem nunca foi? Você que xinga, um dia já foi xingado. Claro que certas pessoas estão além de qualquer definição da falta de noção.


Exemplifico: o vizinho fumante do andar de cima que curte jogar a bituca de cigarro pela janela e ela cai na minha casa. Ei, colega. Se você quer colocar fogo na minha casa, avisa antes! Deixa eu tirar a minha família de dentro e fazer um seguro dos meus móveis.

E você que escolheu morar em um residencial com playground, vai jogar ovo e fralda suja nas crianças porque elas estão brincando? Qual a necessidade disso? As crianças não tem culpa se elas são felizes e você não é.

Pessoa que nunca recebe visita e dá xilique se você estaciona o carro em frente à casa dela e joga Pinho Sol no carro alheio como punição. Se diz evangélica, mas ó, falta Deus no seu coração.

Ei, você que chega da balada completamente alucinado! Precisa mesmo dessa gritaria toda às 5 da manhã?

Olha, se você se deu bem essa noite, a vizinhança não precisa ficar sabendo. Você pode colocar a camisinha usada no cesto de lixo em vez de jogar na área comum do prédio.

A não ser que a sua casa tenha isolamento acústico, a barulheira vai incomodar o vizinho sim. Durante o dia é possível relevar, mas, uma dica: se já é madrugada, não há santo que aguente.

Ô, maconheiro sem vergonha! Você não tem outro lugar pra fumar? Tipo um que não seja na minha porta?

Por que você tem uma casa e resolve fazer tanta festa na porta? Não pode entrar? Ou será que sua mãe não deixa você fazer bagunça em casa? Atormentar a mãe não pode. Mas f*&¨%-se os vizinhos!

Biquíni fio-dental na piscina do prédio: os pedreiros da construção do prédio ao lado vão adorar. Mas as crianças e os outros moradores podem ser poupados dessa visão.

Um dia eu descubro por que a você ainda não parou de usar tamancos até hoje, vizinha. O mistério maior é: por que você usa pra limpar a casa às 6 da manhã?

Garoto, eu sei que você já se acha um hominho e toma conta da sua casa. Mas, se você não tem competência pra usar uma furadeira de modo eficiente, por favor, não use. É barulho desnecessário. Muito menos de manhã. Menos ainda aos sábados de manhã.



Senhor porteiro e senhor vizinho patrulheiro, não é porque vocês conhecem todos os meus horários, veem quem entra e quem sai da minha casa que isso tem o dever de virar pauta de conversa com os outros vizinhos. Pega leve, faz favor. A moça da padaria ao lado não precisa saber da minha vida.

Vizinhos, nossos dias já conseguem ser irritantes por fatores externos. Não sejam catalisadores da raiva alheia.

Grata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário